1
mar
{Disney} Maratona do Mickey!

Estava louca para chegar logo a hora de falar de um dos pontos altos da viagem… Uma homenagem linda e desafiadora que o Papai do Fabrício fez questão de prestar ao filhote no primeiro ano de vida dele. Estamos falando da…

 

 

Quando decidimos fazer essa viagem histórica =), o Alexandre me veio com a conversa de que ia aproveitar para correr a Maratona do Mickey. Confesso que nunca tinha ouvido falar nela, e fiquei tirando o maior sarro, dizendo que era conversa fiada… Até que vi o site do evento e fiquei encantada com toda a infraestrutura envolvida nessa grande festa da Disney! Dei o maior apoio ao Alexandre, é claro. Imagina o orgulho de correr a primeira maratona dois dias antes do primeiro aniversário do Fabrício? Demais, né?

 

Feita a inscrição pela Internet (é tudo muito organizado, gente!), o treinamento começou. Foi um ano pesado para o corpo, e de muita ansiedade também. Há muitos fatores que influenciam no desempenho durante a maratona. E vencer aqueles 42km não deve ser mole…

 

Chegamos a Orlando quatro dias antes da corrida, e aquele ritmo insano de parques, alimentação ruim e poucas horas de sono me deixaram SUPER INSEGURA. Será que o Alexandre conseguiria completar a prova? Claro que fiquei quieta e não comentei nada para não deixá-lo preocupado… Mas JURO, juro que tinha as minhas dúvidas!

 

Até que chegou o grande dia: 08/01/2012! A maratona começa bem cedinho, antes das 6 da manhã, do lado de fora do Epcot Center. Os corredores que são hóspedes dos hotéis Disney têm transporte gratuito até o local da corrida (mais uma vantagem de ficar lá dentro), e lá chegando já dá para sentir que o dia será MÁGICO

 

 

Na largada, muitos fogos de artifício, música, e a presença dos principais personagens da Disney. Gente, é impossível ter uma ideia da quantidade de pessoas envolvidas no evento. Os números impressionam mesmo: 28 mil corredores, isso sem falar no staff que ajuda a fazer da prova um sucesso!

 

Enquanto o Alexandre cumpria o percurso que começava no Epcot e seguia pelo Magic Kingdom, o Animal Kingdom, o Hollywood Studios e, por fim, o Epcot novamente, seguimos todos para o local da chegada. Para fazer festa, comprei um troféu inflável (foi a sensação, todo mundo queria tirar foto com ele), e pegamos uns balões na recepção do hotel. Todos estávamos muito ansiosos, e mega empolgados!

 

 

Fazíamos parte da chamada Cheer Squad, a torcida organizada. Decidimos chegar ao Epcot umas quatro horas depois do início da maratona, mas tem torcedor que acompanha a corrida inteirinha em uma espécie de camarote especialmente criado pelo time Disney. É claro que esse luxo pesa no bolso… o pacote é bem carinho, e infelizmente não conheço ninguém que tenha ficado dentro dele para dizer se vale a pena. Acho que na próxima vez vamos experimentar, para ver se é legal mesmo…

 

E enquanto batíamos papo e fazíamos comprinhas na lojinha da maratona (maravilhosa!), o Alexandre seguia na ralação da corrida. Tudo registradíssimo pelos fotógrafos do evento.

 

 

Aliás, é bom dizer que cada corredor conta com uma página virtual personalizada, onde encontram registros do desempenho durante a prova, além de fotos e vídeos como este! Alguém consegue encontrar o Alexandre nele? O desafio está lançado, hahaha!

 

 

Voltando ao local da chegada, seguíamos nos divertindo com aqueles corredores mais empolgados! Muita gente fantasiada, pintada da cabeça aos pés. Alguns o fazem de folia mesmo, outros aproveitam para prestar uma homenagem ao personagem favorito, já que muitos deles se encontram distribuídos pelo percurso. Imaginem quantas fotos legais essas pessoas devem ter!

 

Falando em fotos, nem na Disney a pobre da Tia Calol para de trabalhar… O registro feito por ela do ex-BBB Fernando Fernandes, que completou a maratona em uma cadeira de rodas, foi parar no EGO! Para conferir, clique aqui! Olha ele segurando o nosso troféu! =)

 

 

Já deu para sentir o clima de felicidade em todo da prova, né? E o mais legal é que tem desafio para gente de todo tipo de fôlego. Além da maratona, há também a meia maratona e a Family Fiesta, um percurso de 5km que é super popular entre adultos e crianças. Além dessas provas, os mais profissionais contam com um desafio ainda maior: o Goofy’s Challenge, que consiste em uma meia maratona no sábado, e uma maratona no domingo. MEU DEUS!

 

Cada corrida tem a sua medalha, cada uma mais linda que a outra… dá vontade de correr todas as provas só para ter uma de cada, né?

 

 

Eu já estava para morrer de ansiedade quando, finalmente, depois de mais de 5 horas de corrida, o Papai do Fabrício cruza a linha de chegada! Cheio de dores e muito cansado, o Alexandre ainda teve forças para levantar o braço e homenagear também o grande jogador Sócrates, que havia falecido poucos dias antes. Vejam o registro do grande momento do nosso atleta!

 

 

Na linha de chegada, Mickey e Minnie recepcionavam os corredores da maratona, que teve como vencedor um brasileiro! Não, não foi o Alexandre… =) Quem sabe na próxima, né?

 

 

Quando apareceu na saída da área reservada aos corredores, o Alexandre não conseguia fechar a boca de tanta felicidade! Depois ele me confessou que estava ponto de desmaiar de exaustão, mas tudo o que víamos nele era sorriso!

 

 

Demos a ele dois prêmios: o troféu, e o Bubuzinho, que estava super orgulhoso do Papai! Enquanto o Alexandre curtia o Fabrício, despejamos toda a nossa curiosidade em cima dele, e perguntamos todas as impressões em relação à corrida. Nosso corredor estava impressionado…

 

 

Além do cenário mais divertido do mundo, eles contaram com uma equipe de apoio nota dez. Empregados e voluntários que seguiam oferecendo água e frutas durante todo o percurso, além da constante presença de uma equipe médica para assistência em casos mais graves.

 

 

O encontro com os personagens em vários pontos da corrida se mostrou fundamental para o bom desempenho de várias pessoas. No caso do Alexandre (fiquei emocionada ao ouvir isso dele), avistar o Mr. Fredricksen foi crucial para a retomada do fôlego. Isso porque o desenho Up!, do qual já falei aqui, é o nosso predileto de todos os tempos… Thank you, Mr. Fredricksen! We love you!

 

 

E a sessão de fotos seguiu forte depois da chegada! Todos queriam deixar registrado o orgulho que sentimos do Papai do Bubu, um verdadeiro herói!

 

 

Agora vem a notícia bombástica! =) Gostamos tanto, tanto da experiência, que ano que vem estaremos de novo lá, marcando presença no evento da Run Disney! Alexandre correrá o Goofy’s Challenge (MEU DEUS) e eu participarei da meia maratona! Os treinos já começaram por aqui, e posso dizer que não é nada fácil… E aí, será que a gente consegue?

 

 

A intenção é participarmos também da corrida dos 5km, junto com o Bubuzinho (no carrinho dele, claro). Tia Calol também já garantiu que vai correr. Estou aqui na torcida para todo mundo embarcar nessa, pelo menos na prova dos 5km! Alguém empolgado aí?

 

 

As datas devem sair mês que vem! Anunciamos tudo aqui no blog, ok?

 

Love,

 

Mommy.





8
dez
Papai Noel (Santa) fala com Fabrício!

Fabrício já escreveu uma cartinha para o Papai Noel, conhecido aqui na Inglaterra como Santa Claus… Vejam a resposta que recebemos hoje de manhã!

 

 

Não é lindo demais, gente? Agora tirem as crianças de perto do computador para que eu diga de onde REALMENTE vem esse vídeo, hahaha!

 

Minha amiga Lu Crowe, outra louca por Natal, foi quem me deu a dica. A produção é assinada pela equipe do Portable North Pole, que criou um site lindo e fácil de navegar, onde podemos criar uma mensagem personalizada em vídeo para os nossos pimpolhos.

 

Quase tive um ataque quando vi. Para criar o vídeo basta preencher os espaços em branco com as informações da criança, e dá para ver uma prévia do material pronto sem gasto nenhum. Para obter a versão em alta qualidade, é preciso pagar coisa de 15 reais. Uma vez pago, você recebe o link para download por email.

 

Super simples, né?

 

O site ainda oferece outros produtos, como um livro e uma carta, também personalizados. Mas o vídeo, para mim, é imbatível!

 

Love,

 

Mommy.





15
nov
Fabrício e {Chico Buarque}

Uma das maravilhas da maternidade é a descoberta da infinita capacidade de fazer o filho passar vergonha. Pagar mico, minha gente, é coisa que todo bebê aprende desde cedo… Tenho quase certeza de que quando nascem, por exemplo, já venham até programados para lidar com isso, assim como já sabem respirar e sugar.

 

Ah, outra coisa que também é “batata”, e acontece com quase toda família que conheço: essa coisa de transferir para o filho gostos e desgostos, fobias e sonhos. E as mães, em especial, também adorar “obrigar” o filho a gostar das músicas que fizeram parte da infância dela.

 

Com o Fabrício não foi diferente, hahaha! No quesito trilha sonora, por exemplo, só dava “Balão Mágico”, “A Arca de Noé”, “Os Saltimbancos Trapalhões”, e por aí vai… Desse último, a música que mais fazia sucesso com o Bubu era “Piruetas”, cantada pelos Trapalhões em parceria com Chico Buarque.

 

Vocês já devem saber que faço parte do time das Chicólatras, aquela associação que tem como membros cerca de 99,9% das mulheres brasileiras! Então dá para imaginar a minha alegria e empolgação ao perceber que meu filho lindo havia herdado, além do branco dos meus olhos, o meu gosto musical.

 

Dada a grandiosidade dessa descoberta, eu precisava, PRECISAVA, apresentar o Fabrício ao Chico Buarque.

 

E como a força do meu pensamento é forte, bem como os contatos da Tia Calol no Rio de Janeiro… Eis que fomos parar na sede do Politheama, o time do Chico!

 

 

Pelas fotos nem dá para perceber, mas eu estava tão nervosa, mas tão nervosa, que parecia estar em outro lugar, sabe? Sempre fui muito fã do Chico, esse artista que para mim é um verdadeiro GÊNIO da nossa literatura (quem há de negar que suas composições sejam verdadeiros poemas?), um ícone da música brasileira… Ai, Ai… =)

 

Eu estava assim, divagando looooooonge, quando o Chico simplesmente aparece, lá perto do portão, caminhando em nossa direção como qualquer mortal. E depois dos segundos mais longos na minha vida, coisa como três décadas de espera… lá estávamos nós, cara a cara com ELE.

 

E aí vem aquele momento crucial do encontro com o ídolo. Porque sei lá, vai que ele nem olha pra gente, vai que na verdade DETESTA criança e foi forçado a gravar aquela música desgraçada que ele odeia, mas que toda molecada parece amar? Vai que ele está cansado, vai acordou de mal com a vida?

 

Nada disso! Confiram o que realmente aconteceu…

 

 

P.S.: A edição deste vídeo foi extremamente necessária, dada a quantidade de bobagens que falei durante o encontro. Na verdade, palavras saíam da minha boca involuntariamente, e vocês não merecem essa coisa horrorosa que se chama “vergonha alheia”.

 

Continuando…

 

Já recuperada da emoção de ver/ouvir o Chico cantando para o MEU FILHO, exclusivamente para o MEU FILHO, fomos conferir a famosa pelada do Politheama. Antes, porém, um autógrafo para a Mamãe aqui e para a Tia Jaque, que estava quicando em tempo real, lá de Brasília! =)

 

 

O jogo é realmente um acontecimento. E dá para ver que é parte fundamental na vida do Chico. Em nossa homenagem, acredito, ele acabou fazendo um gol olímpico, e comemorou como criança…

 

 

Um dia mais que perfeito… =)

 

 

Só felicidade…

 

Love,

 

Mommy.





8
set
Bate, bate a perninha…

… bate, bate sem parar…
… bate, bate a perninha…
… pro peixinho acordar…
… A-COR-DA, PEIXINHOOOOO!

 

A musiquinha acima faz parte do repertório de canções das aulas de natação do Fabrício. Isso mesmo, nosso Bubu é o mais novo aluno da Nadarte, academia super conhecida aqui em Brasília. Será que ele gostou da novidade? =)

 

 

A foto acima foi tirada na primeira aula, há poucas semanas (a moça bonita da última foto é a professora). De lá para cá, o filhote tem se mostrado cada vez mais adaptado à água e aos coleguinhas, todos fofos! As aulas são sempre muito divertidas, cheias de música e acessórios coloridos, mas o melhor mesmo é a gente poder entrar na piscina com eles. Eu simplesmente AMO.

 

Essa “obrigação” na agenda (as aulas são às terças e quintas, das 9h às 9h45) é tão boa, tão boa, que tem até gente se oferecendo para o trabalho… =) Um exemplo? A Tia Calol!

 

 

Dá até pena saber que essa folia vai durar apenas mais um mês, né? Vamos ver se continuamos com as aulas em Londres, mas e o desânimo durante o inverno que já se aproxima? Se bem que para ver esse sorrisão aí, vale tudo!

 

 

Todo mundo fala dos benefícios do esporte especialmente durante a infância, mas olha, nunca imaginei que uma aula de 45 minutos fizesse tão bem a um bebê! Fabrício sai da natação “capotado” de sono (dá para sentir que ele se cansou muito). Depois de trocar a roupinha, já toma uma mamadeira daquelas e puft! BERCINHO por pelo menos 2 horas… Isso sem falar das gargalhadas que ele dá durante as brincadeiras na água. A que ele mais gosta, claro, é ser jogado para cima. Uma delícia!

 

 

Confesso que não procurei outras academias para analisar as aulinhas (escolhemos a Nadarte porque meus pais fazem aula lá há séculos), mas posso dizer que estou 100% satisfeita com o que tenho visto por lá: piscina limpa e aquecida; funcionários sorridentes; professores carinhosos (vejam a última foto acima… é o professor dando um beijo de despedida no Fabrício), aulas criativas. Mais que isso: vemos os sorrisos dos bebês! Eles adoram!

 

E para encerrar o post, claro, uma pequena amostra do nosso campeão, no seu PRIMEIRO MERGULHO (pós-parto, hahaha), dado no PRIMEIRO DIA DE AULA!

 

 

Meu peixinho lindo!

 

Love,

 

Mommy.





29
ago
Como diz o ditado…

…toda ausência é atrevida! =) Vejam como o Fabrício se diverte na casa da Vovó e do Vovô quando eles estão no trabalho…

 

 

E a Tia Malica ajudando na bagunça! =)

 

Love,

 

Mommy.





24
ago
Fabrício <3 avião!

 

Love,

 

Mommy.





22
ago
O primeiro voo do Fabrício!

Bem que me disseram que a TPVB (Tensão Pré-Viagem com Bebê) é pior do que a viagem em si… Bingo! Apesar do meu stress, a primeira vez do Fabrício em um avião foi um verdadeiro sucesso! Como prometi um relato bem legal, vou escrever detalhadamente sobre todas as etapas do nosso trajeto Londres – Rio de Janeiro – Brasília, ok?

 

A preparação

 

A bagagem do Fabrício foi muito compacta: bodies fresquinhos, shorts de verão, sunga, havaianas, dois sapatinhos, uma roupinha social (que ele usará em um evento VIP), boina e boné, creminhos etc. Foi uma mala muito fácil de arrumar, nunca imaginei! Como sobrou espaço, ainda trouxe fraldas descartáveis (são mais baratas na Inglaterra do que aqui) e leite em pó. Resolvi investir no combo menor quantidade + organização, ou seja, trouxe pouca roupa para não acumular na lavagem. Porque a gente sabe que quanto mais a gente traz… mais a gente suja! =)

 

A TAM permite que os bebês viajem uma mala de 23kg + o carrinho desmontado sem custo adicional. Muita gente despacha o carrinho na porta do avião, para não ficar carregando a criança no colo depois do check-in, mas como tenho um apego sem tamanho pela “Ferrari” do Fabrício, resolvi despachá-la na própria mala do Bugaboo. Esta aqui!

 

 

O Bugaboo Bee fica fechadinho aqui dentro. E bem protegido contra pancadas durante a viagem de avião!

 

Pensei que fosse ter problemas com a TAM na hora de despachar o carrinho assim, na mala, mas deu tudo certo! =) Agora vocês me perguntam: como o Fabrício ficou até a hora do embarque? Impossível ficar caminhando com aquela “bolinha” de 9kg pelo aeroporto, né? Nem com o canguru dá, gente!

 

A solução foi esta (e resolveu dois problemas para mim!)…

 

Com a lei de trânsito brasileira exigindo (muito corretamente!) o uso da cadeirinha de bebês nos carros, era inevitável ter de trazer uma de Londres. Despachá-la me tomaria um volume a que tenho direito, mas para a minha alegria, alguém teve a brilhante ideia de criar um sistema de rodinhas para as cadeirinhas!

 

 

Achei o preço salgado (90 libras), mas resolvi comprar assim mesmo, porque viajamos bastante. Depois de receber a encomenda direto da Amazon, comprovei que a Go-Go Kidz Travelmate é realmente um achado. Fácil de usar, se encaixa com perfeição na maioria das cadeirinhas de carro, e pode ser usada por crianças maiores também. O Fabrício adorou ficar passeando nela, e as pessoas ficavam olhando para ele no aeroporto, achando o máximo o meu “volume de mão” animado, hahaha!

 

 

O Gordo amou o novo meio de transporte!

 

Mas nem tudo é perfeito: o Fabrício chegou a dormir várias vezes na cadeirinha, e para não deixá-lo em uma posição ruim, tive de ficar com o carrinho inclinado por um tempo (não foi muito confortável para mim); além disso, quando recebi a cadeirinha de volta, na porta do avião em Brasília, ela veio desencaixada da rodinha, e eu não consegui colocá-la de volta, tendo de caminhar um pouquinho com o Gordo no colo e contar com a ajuda de um funcionário da Tam, que levou a cadeirinha até a esteira. Não sei se eu estava cansada, ou ansiosa, mas mesmo com esses dois mini-perrengues, ainda acredito que despachar o carrinho foi a melhor opção… Mesmo a gente pedindo cuidado, difícil saber como vão tratar de colocá-lo no bagageiro do avião, né? Melhor não arriscar…

 

No avião

 

O nosso check-in no aeroporto de Heathrow foi super tranquilo. Chegamos com quatro horas de antecedência (sim, I’m a freak), e tivemos tempo de sobra para passar pela segurança e ainda passear pelas lojas. No raio-x, contei com a ajuda de vários funcionários do aeroporto que se ofereceram para segurar o Fabrício, enquanto eu colocava tudo na esteira. Não sei se foi o macacão de Super-Homem que o Bubu vestia, mas o sucesso que ele fez nos aeroportos pelos quais passamos foi impressionante! =) Todo mundo mexia com ele, brincava, pedia para segurar… Uma loucura!

 

Quanto à comida, pudemos entrar com papinha de potinho e leite em pó tranquilamente. A água que estava na mamadeira também passou, mas o guardinha pediu para que eu tomasse um pouco dela, para ver se era água mesmo.

 

Fomos um dos primeiros a embarcar, graças à política de prioridade brasileira às pessoas com bebês, coisa que não existe na Europa. Que delícia! Ficamos logo na primeira fileira, e tivemos a sorte de vir sozinhos durante toda a viagem! Que sorte!

 

Havíamos reservado o bercinho com a TAM, e essa regalia nos custou 60 libras no ato do embarque. Caro né, mas vale muito, muito a pena! O bercinho comporta bebês de, no máximo, 11 kg, e agora estou apavorada, porque o Fabrício já está mais gordo… Será que poderei usar o bercinho na volta? MEDO.

 

Segui a dica de uma mamãe blogueira e fiz mini-kits de fraldas + lencinho para as trocas durante o vôo. São pacotinhos individuais que a gente faz para colocar debaixo do banco e evitar tirar a bolsa do bagageiro toda hora, sempre quando for trocar a fraldinha. Na prática, a dica perdeu sentido, já que as aeromoças relaxam um pouco na regra das bolsas no chão quando se trata de passageiro com criança pequena. Pelo menos foi isso que vi! Eu estava toda comportada, hahaha, sem nada no chão e tudo organizado, mas as minhas vizinhas tinham praticamente um mochilão de trilha nos pés, e ninguém disse nada. Na volta, acho que nem vou mais fazer os kits. Para todo o percurso da viagem, coloquei 15 fraldas na bolsa. Foi a quantidade ideal para as 12 horas de vôo + 5 horas de espera para conexão + 2 horas de vôo até Brasília.

 

 

Fabrício dorme na sala VIP da American Express, no Terminal 1, do Aeroporto do Rio

 

Para o Fabrício, levei potinhos individuais de leite em pó (6 unidades), mas fiquei com medo de faltar, e por isso ainda carreguei uma lata fechada na mala de mão. Para a minha surpresa, no meio do vôo, a TAM deu às mamães um kit de comida, com papinhas doces e salgadas, leite, e uma mamadeira. Achei super fofo. Aliás, tenho de elogiar aqui o atendimento IMPECÁVEL que a TAM nos deu durante toda a viagem. Fiquei muito feliz, mesmo! Não tenho nada a falar de ruim, de verdade! AMEI.

 

 

Fabrício, no maior bate-papo com o Comandante da TAM…

 

No trajeto Londres-Rio de Janeiro, acreditem, Fabrício dormiu por 10 horas. Não sentiu a pressão da subida e da descida, não chorou, e arrumou um jeitinho de se acomodar no berço. Foi um sonho, eu nem acreditava! Os outros bebês também foram bem comportados, mas nenhum deles dormiu tanto quanto o Gordo! =)

 

Do Rio para Brasília, a viagem já foi um pouco diferente… Acho que pelo cansaço mesmo. O filhote estava inquieto, e chorou um pouco antes de tirar uma soneca. Viemos em uma fileira de 3, com uma cadeira vaga no meio. Foi nela que o Fabrício se acomodou.

 

Acho que o saldo foi super positivo, mesmo tendo viajado sozinha com um bebê de 7 meses. Mesmo sabendo que elas não vão ler esse post, queria agradecer às duas senhoras que me ajudaram no desembarque do Rio. Umas fofas… Pegaram as malas, carregaram o Fabrício, chamaram o carregador. Enfim, uns anjos!

 

E na chegada em Brasília, foi só alegria… Fim de viagem!

 

 

A corujice da Vovó Ana e do Vovô Harry…

 

 

O reencontro com a Tia Vaca (a namolada)…

 

 

O Super-Herói cumpriu sua missão…

 

Love,

 

Mommy.





7
ago
Aproveitando o verão londrino

Fabrício tem adorado o verão. Em casa, fica desfilando de fralda por todo canto; e quando passeamos, bom, vocês vão ver, hahaha! O gordinho enlouqueceu Vovô Campos e Vovó Lúcia aqui! =)

 

Espero que gostem do nosso último vídeo antes das férias no Brasil! Uhu! As imagens foram feitas no Green Park, um espaço que eu amo aqui em Londres!

 

 

Louco por sorvete…

 

Love,

 

Mommy.





8
jul
Baby News

Gente, tenho de dar uma pausa na cronologia das atualizações para postar um vídeo que fiz ontem! Um monte de gente duvida de mim, dizendo que é delírio de mãe, mas aqui está a prova de que o Fabrício adora falar com a Tia Calol no Skype! Confiram!

 

 

Eu não disse? =)

 

Love,

 

Mommy.





4
jul
Muita folia com a Vovó Baía

Foi pouco tempo para matar tanta saudade! Vovó Baía passou por Londres e foi só chamego com o netinho… Mais uma prévia do que aconteceu por aqui nos últimos dias…

 

 

De Fabrício, para ESMAGADrício…=)

 

Love,

 

Mommy.